Aprendendo Esperar

Este blog foi criado para ser um veiculo de desabafo e registro sobre minha tragetória para alcançar meu sonho de SER MÃE.
"Katia"

" Minha Evolução Gestacional"

sábado, 17 de outubro de 2009

Vacina linfócitos Paternos



Depois de mtas mudanças... a resolução: Vacinas de linfócitos Paternos
Com meu cross mach negativo, tinhamops um primeiro planos mas que agora foi alterado, foi me sugerido 3 doses da vacina ILP, que será ministrada com intervalo de 15 dias cada uma, para assim iniciarmos o procedimento de indução, mas antes da indução já sera introduzido as heparinas, tudo isso contra a falha de implantação (que no meu caso rejeição do embrião).

É para tais casos que costumamos indicar um tratamento imunológico baseado na utilização de vacinas produzidas com linfócitos presentes no sangue do pai. Esses linfócitos são injetados no organismo da mãe com o intuito de estimular, por uma via diferente, a produção de anticorpos contra o HLA paterno – que poderão, assim, ter o efeito protetor numa gravidez subseqüente. Esta é a teoria que justifica o tratamento de imunização com linfócitos paternos (ILP) para casos de abortamentos de repetição e falhas de FIV's de causa aloimune.

Outras técnicas, além da vacina, que beneficiam as mulheres que sofrem de aborto recorrente são a cirurgia no colo do útero após 14 semanas de gravidez (cerclagem), o uso de anticoagulantes, corticóides (doença auto-imune) e imunoglobulina venosa, além da correção dos fatores maternos, como diabetes, hipotireoidismo, reposição de progesterona, dentre outras. Existem trabalhos indicando que o uso de vitaminas antioxidantes C e E pode diminuir a chance de problemas genéticos no embrião.
Obs: no post abaixo tem muito mais informação.